Home

Porque você não consegue aprender duas coisas novas ao mesmo tempo

Semana de provas. Uma maravilha. Assim que você acaba de estudar tudo o que podia em Português, e resolve passar para História, cada regra de gramática que você tinha absolutamente dominado parece fluir para fora da sua cabeça.

Nessa hora, você sente que seu cérebro não é grande o suficiente para manter as duas disciplinas na cabeça ao mesmo tempo. Você pode estar certo.

Recentemente, cientistas descobriram porque é difícil aprender dois assuntos, um logo após o outro: quando você tenta aprender ou memorizar dois tipos diferentes de informação em rápida sucessão, o segundo assunto interfere com a capacidade do cérebro de armazenar permanentemente o primeiro.

O estudo envolveu 120 estudantes universitários. Os pesquisadores desenvolveram um experimento no qual os voluntários tinham que realizar duas tarefas de memória, uma em seguida da outra.

Primeiro, os voluntários receberam uma lista de palavras para memorizar. Em seguida, eles receberam uma tarefa em que tinham que usar os movimentos dos dedos para fazer uma sequência – sem o conhecimento dos voluntários, havia um padrão para fazer isso que eles poderiam aprender, inconscientemente, através da repetição.

Logo após do teste das palavras, os voluntários se lembravam da lista muito bem. Mas depois que fizeram a sequência com os dedos, se esqueceram de muitas das palavras.

Em seguida, na segunda parte do experimento, as tarefas foram revertidas: a sequência dos dedos veio primeiro, seguido pela lista de palavras. Mais uma vez, os voluntários se saíram bem nos testes após a primeira tarefa, mas após a realização da segunda, perderam muito do que aprenderam na primeira.

Ainda assim, ao invés de uma tarefa estar “anulando” a outra, o resultado poderia ser devido a incapacidade do cérebro de armazenar todas aquelas informações. Então, os pesquisadores refizeram o experimento, desta vez usando um dispositivo magnético que bombeia energia elétrica no cérebro quando colocado na cabeça de uma pessoa.

Com essa estimulação, as pessoas lembraram bem de ambas as tarefas, como se tivessem feito cada uma delas separada. O interessante é que a estimulação não melhorou a memória quando apenas uma tarefa foi feita em um momento, e sim apenas removeu a interferência quando duas eram feitas em seguida.

A conclusão do estudo é: quando você quiser aprender duas coisas diferentes, precisa fazer uma pausa entre elas. Outra pesquisa mostra que duas horas pode ser suficiente.

Os pesquisadores não sabem por que o cérebro age dessa maneira. Ele ativamente “conspira” para produzir uma interferência de memória e assim prejudicar nossa lembrança do que aprendemos. Isso pode parecer um tanto paradoxal, mas os cientistas imaginam que essa interferência de memória serve para alguma função importante, que até agora não sabemos qual é.

Fonte: Hypescience